Convênio Ministério Público/Disque-Denúncia
 Os bancos de dados do Disque-Denúncia do Rio, serviço da Secretaria Estadual de Segurança, e do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ), que contêm informações sobre pessoas desaparecidas, passaram a funcionar conjuntamente.
Com isso, o MP-RJ vai inserir dados do Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos (Plid) no site do Disque-Denúncia. A Secretaria Estadual de Segurança fará o mesmo trabalho, abastecendo o banco de dados do Plid com as informações que chegam ao Disque-Denúncia.
O coordenador do Disque-denúncia, Zeca Borges, disse que o banco de dados da secretaria tem informações genéricas sobre as atividades criminosas no estado do Rio de Janeiro e que, com a parceria com o Ministério Público, o trabalho será reforçado. “Uma atuação conjunta, para multiplicar a nossa capacidade e alcançar resultados maiores com a questão dos desaparecidos no Rio de Janeiro. Se tivermos sucesso, esperamos estender a nossa experiência para outros estados”, disse.
O procurador de Justiça Pedro Mourão disse que a parceria visa a oferecer mais publicidade a dados sobre a comunicação de desaparecidos e, assim, permitir que a sociedade se torne uma aliada na localização e identificação dessas pessoas. Ele ressaltou que a população terá acesso aos dados, a fotografias dos desaparecidos e também às investigações.
“O canal de absorção de dados, que o Disque Denúncia disponibiliza, vai receber mais informação sobre o paradeiro dessas pessoas. Paralelamente, vai absorver nossas comunicações de desaparecimentos que, pela força do convênio, serão difundidos no projeto. Depois desse recebimento, o MP vai acionar suas diligências, por sua força de ação, para fazer a localização e a identificação de pessoas”, explicou o procurador.